15/08/2011 - A Voz do Brasil

A Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2012 e os 32 vetos feitos pela presidenta Dilma Rousseff à essa lei foram publicados no Diário Oficial. O Orçamento agora vai ser discutido e precisa ser aprovado no Congresso Nacional até o final deste ano. 60 municípios brasileiros foram sorteados e vão ter as contas fiscalizadas pela CGU. A medida faz parte do Programa de Fortalecimento da Gestão Pública, criado há 7 anos. Além da análise de documentos, os fiscais também visitam escolas, postos de saúde e recebem denúncias da população. O balanço parcial da 2ª etapa de vacinação contra a Poliomielite aponta que quase 10 milhões de crianças tomaram as gotinhas, quase 67% do público-alvo. E a vacinação continua, não só contra a paralisia infantil, mas também contra o sarampo que atingiu 77% da meta. Tudo isso aconteceu hoje e você ouviu na Voz do Brasil.

15/08/2011 - A Voz do Brasil

A Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2012 e os 32 vetos feitos pela presidenta Dilma Rousseff à essa lei foram publicados no Diário Oficial. O Orçamento agora vai ser discutido e precisa ser aprovado no Congresso Nacional até o final deste ano. 60 municípios brasileiros foram sorteados e vão ter as contas fiscalizadas pela CGU. A medida faz parte do Programa de Fortalecimento da Gestão Pública, criado há 7 anos. Além da análise de documentos, os fiscais também visitam escolas, postos de saúde e recebem denúncias da população. O balanço parcial da 2ª etapa de vacinação contra a Poliomielite aponta que quase 10 milhões de crianças tomaram as gotinhas, quase 67% do público-alvo. E a vacinação continua, não só contra a paralisia infantil, mas também contra o sarampo que atingiu 77% da meta. Tudo isso aconteceu hoje e você ouviu na Voz do Brasil.

15-08-11-voz-do-brasil.mp3

Duração:

Publicado em 09/12/2016 18:24

Apresentadora Kátia Sartório: Presidenta Dilma sanciona Lei de Diretrizes Orçamentárias que estabelece as prioridades de gastos em investimentos públicos em 2012.

Apresentador Luciano Seixas: Sessenta municípios foram sorteados hoje e vão ter as contas fiscalizadas pela Controladoria-Geral da União.

Kátia: Quase 10 milhões de crianças foram vacinadas contra a pólio, de acordo com o balanço parcial do Ministério da Saúde.

Luciano: Segunda-feira, 15 de agosto de 2011.

Kátia: Está no ar a sua voz.

Luciano: A nossa voz.

Kátia: A Voz do Brasil

Luciano: Boa noite! Aqui, nos estúdios da EBC Serviços, eu, Luciano Seixas, e Kátia Sartório.

Kátia: Publicados na edição de hoje do Diário Oficial da União a Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2012 e os 32 vetos feitos pela presidenta Dilma a essa lei.

Luciano: A principal função da LDO é definir as prioridades de gastos e investimentos do orçamento anual, que o Poder Executivo encaminha ao Congresso Nacional até o dia 31 de agosto.

Kátia: Entre os vetos à lei está a previsão de reserva sobre a criação ou expansão das despesas obrigatórias.

Luciano: A Lei Orçamentária disciplina todas as ações do governo federal e, por isso, nenhuma despesa pública pode ser executada fora do orçamento.

Kátia: O orçamento anual também precisa estar de acordo com a Lei de Responsabilidade Fiscal, ou seja, os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário dos municípios, estados e do governo federal não podem gastar mais do que arrecadam, principalmente com o pagamento de servidores públicos.

Luciano: O orçamento de 2012 agora vai ser discutido e precisa ser aprovado no Congresso Nacional até o final deste ano.

“Café com a Presidenta”.

Kátia: O incentivo às micro e pequenas empresas foi o tema de hoje do programa Café com a Presidenta.

Luciano: A presidenta Dilma Rousseff afirmou que a ideia é fortalecer o setor com ações, como o novo Supersimples e o Programa Empreendedor Individual.

Presidenta Dilma Rousseff: Para o Brasil crescer melhor é importante estimular as pequenas empresas, e uma das alavancas para isso é o Supersimples, e a outra, o Microempreendedor Individual. Os dois programas reduzem tributos e eliminam a burocracia.

Kátia: A presidenta Dilma destacou ainda algumas alterações no Sistema Simplificado de Cobrança de Impostos, o Supersimples.

Presidenta Dilma Rousseff: Um número maior de empresas, agora, vai poder entrar no sistema simplificado, e elas vão pagar ainda menos impostos.
Veja, antes, para entrar no Supersimples, a empresa tinha de ter um faturamento anual de até R$ 2,4 milhões; com a nova lei, o limite de faturamento anual passou para até R$ 3,6 milhões.

Luciano: De acordo com a presidenta Dilma, o Programa Microempreendedor Individual, MEI, é outra ação, para apoiar essas empresas, que merece destaque.

Presidenta Dilma Rousseff: O objetivo do MEI é ampliar as oportunidades para todos os microempreendedores do Brasil e assim aumentar a sua formalização, assegurando a eles acesso a crédito, previdência, uma aposentadoria e, sobretudo, cidadania. Nós atualizamos o programa e ampliamos o limite de renda dos microempreendedores individuais, para que eles também continuem crescendo. Aumentamos o limite para R$ 60 mil/ano. Antes, era apenas R$ 36 mil/ano. Veja, Luciano, com isso, milhares de microempreendedores, como manicures, cabeleireiros, vendedores ambulantes, doceiras, massagistas, bombeiros, eletricistas e outros, poderão faturar mais e continuar com os benefícios do MEI.

Kátia: E a presidenta Dilma Rousseff reconduziu hoje Roberto Gurgel ao cargo de procurador-geral da República.

Luciano: Gurgel fica no cargo por mais dois anos. Vamos entender melhor o que faz a procuradoria-geral da República, na reportagem de Paulo La Salvia.

Repórter Paulo La Salvia (Brasília-DF): Roberto Gurgel já havia chefiado o Ministério Público Federal nos últimos dois anos. A Constituição não impõe limites à recondução do cargo. Basta uma indicação da Presidência da República e a aprovação do nome, pelo Senado, para um novo mandato, sempre de 24 meses. O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, defendeu a autonomia do Ministério Público.

Procurador-geral da República - Roberto Gurgel: Eu acredito que um dos males nossos é precisamente um número infindável de recursos que tornam praticamente impossível que ocorra o trânsito em julgado de uma decisão.
Para que nós asseguremos uma maior efetividade às decisões judiciais, notadamente na esfera penal, é muito importante que essa possibilidade infinita de recursos acabe.

Repórter Paulo La Salvia (Brasília-DF): A presidenta Dilma Rousseff reafirmou o compromisso do governo com a independência do Ministério Público. Também defendeu o combate à impunidade no país, sempre com respeito aos direitos individuais de cada cidadão.

Presidenta Dilma Rousseff: Onde o crime organizado atuar nós iremos combater com firmeza, utilizando todos os instrumentos de investigação e punição de que o governo dispõe e sempre contando com a atuação isenta do Ministério Público, com a eficiência da polícia e com o poder de decisão do Judiciário.
Repórter Paulo La Salvia (Brasília-DF): Cabe ao Ministério Público oferecer diferentes tipos de denúncias ao Poder Judiciário, como crimes envolvendo a esfera pública, a iniciativa privada e mesmo o cidadão comum. É a partir dessas denúncias que a Justiça decide julgar, ou não, o caso. De Brasília, Paulo La Salvia.

Kátia: O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, afirmou hoje que o Ministério não interfere politicamente em ações e operações da Polícia Federal.

Luciano: José Eduardo Cardozo também defendeu a punição de abusos, cometidos em operações, como a divulgação de fotos de seis presos na Operação Voucher, que prendeu 36 pessoas, na semana passada, acusadas de desviar recursos do Ministério do Turismo.

Ministro da Justiça - José Eduardo Cardozo: A Polícia Federal tem um papel importantíssimo e tem agido com muita competência nas suas ações. Agora, sempre que um agente público da Polícia Federal agir em desconformidade com a lei, o Ministério da Justiça irá apurar e punir. Não há, portanto, discussão. A Polícia Federal cumpre o seu papel. Quem sair fora daquilo que a lei e o Estado determinam, obviamente, será objeto de punição.

Kátia: Sessenta municípios brasileiros foram sorteados hoje e vão ter as contas fiscalizadas pela Controladoria-Geral da União.

Luciano: A medida faz parte do Programa de Fortalecimento da Gestão Pública, criado há sete anos.

Kátia: Além da análise de documentos, os fiscais também visitam escolas, postos de saúde e recebem denúncias da população.

Repórter Cleide Lopes (Brasília - DF): Para ter certeza de que os recursos do governo federal, destinados aos estados e municípios brasileiros para Educação, Saúde e ao Desenvolvimento Social, estão mesmo sendo aplicados de forma correta, a Controladoria-Geral da União passou a fazer sorteios de municípios para serem fiscalizados. Neste primeiro sorteio do ano, foram escolhidos 60 municípios com até 50 mil habitantes.
Este é o sorteio de nº. 34 e só ficaram fora dele as capitais e municípios com mais de 500 mil habitantes, que tiveram as contas fiscalizadas no ano passado, pela Controladoria-Geral da União. O Programa de Fortalecimento da Gestão Pública, criado em 2006 para regular a aplicação dos recursos públicos, já fiscalizou mais de 1.800 municípios. O trabalho compreende não só em analisar papéis, mas também visitar escolas, postos de saúde e ouvir a população local e ainda averiguar denúncias. Se ficar comprovado o desvio de dinheiro, o valor é calculado, um processo é aberto e encaminhado ao Tribunal de Contas da União e à Controladoria-Geral da União, que repassa as ações ao Judiciário, para recuperar o dinheiro desviado, como explica o Secretário de Controle da Controladoria-Geral da União, Valdir Agapito.

Secretário de Controle da Controladoria-Geral da União - Valdir Agapito: A fiscalização do sorteio é uma das modalidades de trabalho nossa. Nós temos as fiscalizações sistemáticas de programas, que monta, mais ou menos, por ano, umas 5 mil. Tem as fiscalizações por denúncia, e tudo isso é encaminhado aos gestores. Agora, nós encaminhamos, anualmente, ao Tribunal de Contas da União, mais de mil tomadas de contas especial e que soma sempre valores próximos de R$ 1 bilhão.

Repórter Cleide Lopes (Brasília - DF): De acordo com a Controladoria-Geral da União, as regiões com maior número de irregularidades são a Centro-Oeste, Norte e Nordeste. A lista com os 60 municípios sorteados nesta segunda-feira pode ser conferida no endereço eletrônico: www.cgu.gov.br. O próximo sorteio para escolher novos municípios que serão fiscalizados será realizado em outubro. De Brasília, Cleide Lopes.

Luciano: E ainda falando em Controladoria-Geral da União, o número de servidores públicos federais expulsos no mês passado é recorde, comparado a qualquer outro mês, desde 2003.

Kátia: De acordo com um levantamento feito pela CGU, só no mês passado, 98 servidores foram expulsos da administração pública federal por envolvimento em corrupção. Angélica Coronel.

Repórter Angélica Coronel (Brasília-DF): O número se refere aos processos iniciados pela CGU e também nos Ministérios. Órgãos como a polícia, a Receita Federal e o Ibama possuem controladorias próprias. O presidente da Organização Não Governamental Transparência Brasil, David Fleischer, diz que as demissões são importantes para acabar com o sentimento de impunidade.

Presidente da ONG Transparência Brasil - David Fleischer: A pessoa pratica esses atos pensando que vai ficar impune. Pode ser indiciado, pode ser processado, mas jamais vai para a cadeia, porque o nosso sistema Judiciário não funciona. Tem, literalmente, mil chances de apelação, de recurso etc. que os advogados podem fazer que o sujeito nunca vai ser condenado para ir para a prisão. Então, é o sentido do conceito de impunidade.

Repórter Angélica Coronel (Brasília-DF): No mês de julho, o número de expulsões foi recorde: 98 servidores. Em 2010, no mesmo período, foram 51. De janeiro a julho deste ano, as demissões chegam a 328 contra 253, no mesmo semestre do ano passado. Em mais de 30% das demissões, os funcionários usaram o cargo público para obter vantagens pessoais.
Para o secretário-executivo da CGU, Luiz Augusto de Britto Filho, o levantamento não significa aumento na corrupção, e, sim, mais controle.

Secretário-executivo da CGU - Luiz Augusto de Britto Filho: O aumento de expulsões no serviço público se deve a um maior trabalho das corregedorias, da Controladoria-Geral da União e das investigações que são feitas pela Polícia Federal e pelo Ministério Público.

Repórter Angélica Coronel (Brasília-DF): Segundo a CGU, desde 2003, 2.812 funcionários de carreira foram demitidos. Outros 281, que ocupavam cargos em comissão, foram destituídos e ficam impedidos de voltar à administração pública por, no mínimo, cinco anos. De Brasília, Angélica Coronel.

Luciano: Para fazer denúncias à CGU sobre desvios de recursos públicos e corrupção em órgãos da administração pública federal, basta acessar a página www.cgu.gov.br, no item “Denúncias”.

Kátia: E uma fiscalização conjunta da CGU com a Secretaria Nacional de Defesa Civil do Ministério da Integração encontrou irregularidades na aplicação de recursos repassados pelo governo federal à prefeitura de Nova Friburgo, na região serrana do Rio de Janeiro, uma das cidades mais atingidas pelas chuvas, no início desse ano.

Luciano: Segundo a CGU, foram constatados problemas na comprovação de serviços prestados por duas construtoras e transferências injustificadas de recursos para uma conta bancária da prefeitura.

Kátia: A Controladoria-Geral da União também recomendou o bloqueio dos recursos federais na conta bancária aberta pela prefeitura.

Luciano: A prefeitura de Nova Friburgo terá até 30 dias para se manifestar. Se as justificativas apresentadas não forem consideradas convincentes, o dinheiro vai ter que ser devolvido.

Kátia: Sete e treze.

Luciano: O balanço parcial da segunda etapa de vacinação contra a poliomielite aponta que quase 10 milhões de crianças tomaram as gotinhas, quase 67% do público-alvo.

Kátia: E a vacinação continua não só contra a paralisia infantil, mas também contra o sarampo, que atingiu 77% da meta.

Luciano: Vamos saber mais na entrevista que a nossa editora Adriana Franzin fez com Jarbas Barbosa, secretário de Vigilância em Saúde do Ministério.

Editora Adriana Franzin: Quais são os resultados principais desse balanço parcial divulgado hoje?

Secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde - Jarbas Barbosa: Olha, o balanço é muito positivo. O dado que foi fechado até o final do dia da vacinação, que foi sábado, que nós chamamos de dia da mobilização, ele já apontava mais de 9,4 milhões crianças vacinadas contra a pólio, e mais de 3,3 milhões crianças vacinadas contra o sarampo. Esse dado da pólio é o melhor dado que a gente registra nos últimos anos, o que nos faz acreditar que nós vamos cumprir a meta e vacinar todas as crianças que estão previstas.

Editora Adriana Franzin: Qual era a meta e qual foi a percentagem atingida?

Secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde - Jarbas Barbosa: Já nesse primeiro dia, nós tivemos o resultado da informação de, praticamente, 67% das crianças vacinadas, o que comparado com anos anteriores é um percentual muito elevado, porque o dia de hoje todos nós recebemos mais informações, terça-feira, quarta, porque em alguns estados do Brasil, principalmente na região Norte, na região Nordeste, as informações de área rural, dos municípios mais distantes, elas não chegam imediatamente, elas levam um certo tempo para serem registradas. A meta sempre é 95% das crianças.

Editora Adriana Franzin: A vacinação continua?

Secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde - Jarbas Barbosa: A vacinação continua. Municípios que não atingiram a meta da vacinação no sábado, o Ministério recomenda que eles continuem vacinando. No caso da pólio, vários municípios já atingem a meta no próximo sábado, porque é uma vacina mais fácil, é uma vacina oral, o que permite uma descentralização muito grande nos postos de vacinação. No caso do sarampo, como é injetável, o número de postos é menor do que o da pólio, a recomendação já era, como foi na primeira etapa para os oito estados que vacinaram contra sarampo na primeira etapa, que eles utilizassem até três semanas de vacinação para atingir a cobertura de 95%, que é a esperada.

Editora Adriana Franzin: Conversei com o secretário de vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Jarbas Barbosa. Muito obrigada pela participação, aqui, na Voz do Brasil.

Secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde - Jarbas Barbosa: Obrigado a vocês.

Kátia: Trabalhadoras rurais de todo o Brasil começaram a chegar hoje, aqui, em Brasília, para a quarta edição da “Marcha das Margaridas”, uma mobilização organizada pela Confederação Nacional dos trabalhadores na Agricultura, Contag.

Luciano: A expectativa é que o protesto reúna, pelo menos, 70 mil mulheres. A marcha deste ano é organizada em sete eixos principais, que incluem melhores condições de trabalho e participação política, violência no campo e reservas extrativistas.

Repórter Daniela Almeida (Brasília-DF): A segunda-feira foi de muito trabalho no parque da cidade, em Brasília, para adaptar o local que vai receber, pelo menos, 70 mil mulheres na quarta edição da “Marcha das Margaridas”. Por todos os lados, o que se via era gente decorando os ambientes, fazendo a segurança e limpando.

Entrevistada 1: O espaço é amplo, realmente cabem muitas pessoas aqui, e a gente trabalhar é um prazer, porque a gente está aqui e também participa, né?

Entrevistada 2: A correria um pouco grande ainda, terminando de organizar para receber as mulheres que devem estar chegando aí pela madrugada.

Repórter Daniela Almeida (Brasília-DF): Estantes, centenas de banheiros químicos e tendas de alojamentos compõem a infraestrutura que vai abrigar as mulheres que vivem no campo, além da realização de painéis de debates, oficinas, atividades culturais e mostras da produção das trabalhadoras rurais. Em meio a pregos, tapumes e flores estão as histórias de gente que luta pela igualdade de gênero e ampliação de políticas públicas no campo, como a agrônoma Beth Cardoso.

Agrônoma - Beth Cardoso: Comecei trabalhando com agricultores e agricultoras e percebendo que tudo no mundo, todos os espaços eram oferecidos aos homens e as mulheres pouco participavam das reuniões, dos espaços de formação e, a partir dessa percepção, a gente começou, então a gente que trazer as mulheres para o debate, para a construção da agroecologia.

Repórter Daniela Almeida (Brasília-DF): As histórias dessas mulheres se parecem com a de Margarida Maria Alves, que dá nome a marcha nacional. A trabalhadora rural foi assassinada em 1983 por sua atuação sindical em Alagoa Grande, na Paraíba. Hoje, Margarida é um símbolo para toda a mulher que luta contra a exploração, pelos direitos de trabalhadores e trabalhadoras do campo e pela reforma agrária. Neste ano, o evento tem como tema: “Desenvolvimento Sustentável com Justiça, Autonomia, Igualdade e Liberdade. A coordenadora nacional da Marcha das Margaridas, Carmen Foro, fala sobre a pauta de reivindicações divididas em sete eixos principais.

Coordenadora nacional da Marcha das Margaridas - Carmen Foro: Nós queremos fazer um amplo debate sobre o tema da violência no campo, sobre o fortalecimento da organização econômica das mulheres, questionamentos também e queremos fazer proposições aos grandes projetos no nosso país. Portanto, pensar em desenvolvimento para o país é preciso pensar num conjunto de políticas públicas que estejam voltadas ao campo e que garantam, nesse desenho do desenvolvimento, igualdade entre homens e mulheres, condições sociais iguais as que vivem as pessoas na cidade, e, obviamente, nem todas as pessoas que vivem na cidade têm condição social igual, mas a ideia é que a gente possa elevar a nossa condição de vida.

Repórter Daniela Almeida (Brasília-DF): A “Marcha das Margaridas” já foi realizada nos anos de 2000, 2003 e 2007. Este ano será realizada na terça e quarta-feira. De Brasília, Daniela Almeida.

Kátia: E a presidenta Dilma participa da “Marcha das Margaridas”, na quarta-feira, para debater a pauta de reivindicações entregue em julho ao governo.

Luciano: Vamos registrar hoje, Kátia, a mensagem do nosso ouvinte Amarildo de Oliveira Soares, ele explica como é importante estudar para continuar crescendo profissionalmente, e da vontade que tem de fazer um curso superior.

Kátia: É isso aí, Amarildo. O Ministério da Educação tem um programa que oferece bolsas de estudos em instituições de Educação Superior privadas em cursos de graduação e sequenciais de formação específica a estudantes brasileiros como você e que como você também não tem diploma de nível superior.

Luciano: O Prouni, que oferece bolsa integral para estudantes que possuam renda familiar por pessoa de até um salário mínimo e meio, ou bolsa parcial de 50% de desconto para estudantes que possuam renda familiar por pessoa de até três salários mínimos.

Kátia: Mas atenção, Amarildo, não é só o curso superior que pode fazer a diferença no seu currículo, não. Existem bons exemplos na área de educação profissional e tecnológica.

Luciano: O MEC está investindo mais de R$ 1 bilhão na expansão desse tipo de educação que tem mudado a vida de muitos brasileiros. É o que vamos saber agora na reportagem de Gabriela Mendes.

Repórter Gabriela Mendes (Brasília-DF): Daniela Amorim faz graduação em Dança no Instituto Federal de Educação de Brasília, o curso é o único do Distrito Federal e, segundo Daniela, fundamental em sua formação de professora de dança.

Estudante - Daniela Amorim: Estou achando uma oportunidade excelente e que a gente tem que batalhar para que isso possa crescer mais, se fortalecer mais e ser mais valorizado.

Repórter Gabriela Mendes (Brasília-DF): Além da graduação em dança, o Instituto Federal de Educação de Brasília oferece, ainda, cursos profissionalizantes de formação básica e técnica em cinco ‘campis’ espalhados pelo Distrito Federal. Carla Moraes faz o curso de Eventos, área que está em plena expansão, especialmente por causa da Copa do Mundo e das Olimpíadas, que vão ser realizadas no Brasil.

Estudante - Carla Moraes: É uma oportunidade única para que as pessoas possam estar habilitadas para fazer o melhor. O IUFB, com esse curso técnico em Eventos, ele realmente proporciona e capacita para que todos possam ter o melhor desempenho na área profissional.

Repórter Gabriela Mendes (Brasília-DF): A professora Sandra Branquini aprova a ideia e diz que os cursos não só qualificam, mas mudam a vida dos estudantes.

Professora - Sandra Branquini: Tem pessoas que estão 10, 15 anos paradas, fora de uma sala de aula, eles vieram para dentro do instituto, com cursos gratuitos, eles começam a fazer um intercâmbio não só com os professores, mas com os próprios alunos, e eles se motivam a continuar estudando. Então, nós temos depoimentos, relatos de alunos que vieram fazer um curso técnico, mas não pararam.

Repórter Gabriela Mendes (Brasília-DF): Hoje, existem no país 354 instituições da rede federal de Educação Superior, Profissional e Tecnológica. Nesta terça-feira, o governo vai anunciar a expansão da rede. A ideia é atender a uma demanda cada vez maior do mercado de trabalho por profissionais qualificados. De Brasília, Gabriela Mendes.

Luciano: Para enviar sugestões de pauta para a gente, o endereço eletrônico é pautaebcservicos@ebc.com.br.

Kátia: Ou pelo nosso Twitter: twitter.com/avozdobrasil.

Luciano: O Brasil tem mais de 8 mil quilômetros de costa e a maior oferta de água doce do planeta, mas a produção de peixes em cativeiro, a pesca, o consumo e a exportação de pescado ainda está bem abaixo desse potencial.

Kátia: Por isso, o Brasil foi buscar conhecimento e tecnologia em países onde a produção e o consumo de peixes são considerados altos.

Luciano: O ministro da Pesca, Luiz Sérgio, está hoje na Noruega, um país nórdico que fica na Europa Setentrional, onde participa da “Aquanor”, a maior feira de aquicultura do mundo.

Kátia: O ministro explica como o setor pesqueiro no Brasil pode ser beneficiado com as parcerias com instituições norueguesas.

Ministro da Pesca - Luiz Sérgio: No dia de hoje, houve encontro com a Nofima e a Sintef que são dois órgãos, dois institutos de pesquisas noruegueses que controlam a tecnologia da aquicultura no Brasil, e ambos já possuem relação com organizações no Brasil. A Sintef, por exemplo, ela tem hoje já convênios com a Universidade Federal do Paraná, de Santa Catarina, do Rio Grande do Norte e de São Paulo, visando a troca de experiências para que o Brasil possa avançar nesta área que é uma área de enorme potencialidade. O Brasil, que é o grande exportador de carne bovina, grande exportador de suíno, de aves, de soja, nós temos ‘déficit’ na nossa balança comercial no que se refere ao item pescado, isso é mais do que nunca uma demonstração concreta de que nós estamos aquém da nossa potencialidade em relação ao item pescado.

Luciano: Um milhão e setecentos mil contribuintes que tiveram as restituições do Imposto de Renda liberadas no terceiro lote começaram a receber o dinheiro hoje.

Kátia: Para saber se você teve a declaração liberada, basta acessar www.receita.fazenda.gov.br, ou ligar para o 146.

Luciano: Você ouviu hoje, na Voz do Brasil.

Kátia: Presidenta Dilma sanciona lei de Diretrizes Orçamentárias que estabelece as prioridades de gastos e investimentos públicos em 2012.

Luciano: Sessenta municípios foram sorteados hoje e vão ter as contas fiscalizadas pela Controladoria-Geral da União.

Kátia: Quase 10 milhões de crianças foram vacinadas contra a pólio de acordo com balanço parcial do Ministério da Saúde.

Luciano: Esse foi o noticiário do Poder Executivo, uma produção da equipe de jornalismo da EBC Serviços.

Kátia: Siga a Voz do Brasil no Twitter: twitter.com/avozdobrasil. Voltamos amanhã, uma boa noite.

Luciano: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite e até amanhã.