20/09/2013 - A Voz do Brasil

O número de empregos com carteira assinada cresceu 26,45% em agosto, na comparação com o mesmo período de 2012. Foram 127,6 mil novos de postos de trabalho criados no Brasil no mês. O bom desempenho se refletiu em seis dos oito setores da economia, com destaque para o setor de serviços, que gerou mais de 64 mil vagas. O Conselho Federal de Medicina orientou os conselhos regionais a autorizarem os registros provisórios dos médicos formados no exterior que vieram ao país para participar do programa Mais Médicos. O pedido acontece após a publicação de parecer da Advocacia-Geral da União (AGU) definindo os documentos que podem ser solicitados para a realização do registro. O filme O Som ao Redor foi escolhido pelo Ministério da Cultura para ser o representante do Brasil na disputa de Melhor Filme Estrangeiro do Oscar 2014. A produção é dirigida pelo pernambucano Kleber Mendonça Filho, e trata das tensões e contradições sociais do país. Agora, o filme será avaliado pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas dos Estados Unidos, que escolherá os finalistas ao prêmio. Tudo isso você ouviu nesta sexta-feira em A Voz do Brasil!

20/09/2013 - A Voz do Brasil

O número de empregos com carteira assinada cresceu 26,45% em agosto, na comparação com o mesmo período de 2012. Foram 127,6 mil novos de postos de trabalho criados no Brasil no mês. O bom desempenho se refletiu em seis dos oito setores da economia, com destaque para o setor de serviços, que gerou mais de 64 mil vagas. O Conselho Federal de Medicina orientou os conselhos regionais a autorizarem os registros provisórios dos médicos formados no exterior que vieram ao país para participar do programa Mais Médicos. O pedido acontece após a publicação de parecer da Advocacia-Geral da União (AGU) definindo os documentos que podem ser solicitados para a realização do registro. O filme O Som ao Redor foi escolhido pelo Ministério da Cultura para ser o representante do Brasil na disputa de Melhor Filme Estrangeiro do Oscar 2014. A produção é dirigida pelo pernambucano Kleber Mendonça Filho, e trata das tensões e contradições sociais do país. Agora, o filme será avaliado pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas dos Estados Unidos, que escolherá os finalistas ao prêmio. Tudo isso você ouviu nesta sexta-feira em A Voz do Brasil!

20-09-2013-voz-do-brasil.mp3

Duração:

Publicado em 09/12/2016 18:23

Apresentadora Kátia Sartório: Criação de empregos no país aumenta quase 27% em agosto.

Apresentador Roberto Camargo: Quinta penitenciária federal vai ser construída no Distrito Federal.

Kátia: Longa-metragem brasileiro “O Som ao Redor” concorre a uma indicação ao Oscar 2014 de melhor filme estrangeiro.

Roberto: Sexta-feira, 20 de setembro de 2013.

Kátia: Está no ar a sua voz.

Roberto: A nossa voz.

Kátia: A Voz do Brasil.

Roberto: Boa noite! Aqui, no estúdio da Voz do Brasil, na EBC Serviços, eu, Roberto Camargo, e Kátia Sartório.

Kátia: Olá, boa noite! Estamos também ao vivo, em vídeo, pela internet.

Roberto: Acesse agora, em www.ebcservicos.ebc.com.br/avozdobrasil.

Kátia: Em agosto, o número de empregos com carteira assinada no país cresceu 26,45%, se comparado com o mesmo período do ano passado.

Roberto: No mês passado, foram gerados 127.648 novos empregos formais. O bom desempenho se refletiu em seis dos oito setores da economia, com destaque para o setor de serviço, que gerou mais de 64 mil postos de trabalho.

Kátia: Na comparação com julho deste ano, o crescimento foi de 0,32%.

Roberto: Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, Caged, divulgados hoje pelo Ministério do Trabalho.

Kátia: No acumulado dos oito primeiros meses do ano, foram criados mais de 1 milhão de empregos com carteira assinada.

Roberto: A quinta penitenciária federal do país vai ser construída em São Sebastião, aqui no Distrito Federal.

Kátia: O projeto da penitenciária é igual aos dos outros quatro estabelecimentos federais de segurança máxima, com 208 vagas.

Roberto: As obras têm um custo estimado em R$ 38 milhões, e a previsão é que comecem ainda este ano. O aviso de licitação para a obra foi publicado hoje no Diário Oficial da União.

Kátia: O sistema penitenciário federal, criado em 2006, tem como função isolar criminosos de alta periculosidade em estabelecimentos de segurança máxima.

Roberto: Segundo o Ministério da Justiça, nunca houve homicídio, fuga ou apreensão de drogas e armas nas penitenciárias federais.
Kátia: Esse é um trecho do filme “O Som ao Redor”, que foi escolhido hoje pelo Ministério da Cultura para ser o representante do Brasil na disputa pelo Oscar 2014, na categoria de melhor filme estrangeiro.

Roberto: O filme tem a direção do cineasta pernambucano Kleber Mendonça Filho e trata das tensões e contradições sociais do país.

Kátia: O secretário do Audiovisual do Ministério da Cultura, Leopoldo Nunes, explica por que o filme foi indicado.

Secretário do Audiovisual do Ministério da Cultura - Leopoldo Nunes: Um filme de altíssima qualidade, é um filme que tem uma reputação cinematográfica que poucos filmes na história do Brasil tiveram. Assim, um filme com críticas positivas em mais de 70 países. Então, ele tem muitos predicados e muitas qualidades.

Roberto: A escolha de “O Som ao Redor” não garante que ele vai disputar o Oscar, prêmio da academia de artes e ciências cinematográficas dos Estados Unidos.

Kátia: A seleção final dos cinco filmes que concorrem na categoria de melhor produção estrangeira é definida pela organização do prêmio.

Roberto: Os finalistas devem ser indicados em janeiro do ano que vem.

Kátia: E foram prorrogadas até o dia 4 de novembro as inscrições para o Concurso Cultura 2014.

Roberto: Quase R$ 20 milhões vão ser investidos para ampliar a programação cultural das 12 cidades-sede da Copa do Mundo do ano que vem.

Kátia: Outros R$ 17 milhões vão ser usados para revitalizar equipamentos culturais.

Kátia: Assuntos da entrevista que o repórter Ricardo Carandina fez com Fernanda Hummel, assessora para Grandes Eventos do Ministério da Cultura.

Repórter Ricardo Carandina: Que tipo de projetos vão ser selecionados?

Assessora para Grandes Eventos do Ministério da Cultura - Fernanda Hummel: Nós, no edital, estamos contemplando 14 categorias culturais, que vão desde música, teatro, circo e todas as áreas da economia criativa trabalhadas pelo Minc, que são artesanato, gastronomia, moda, design, arquitetura.

Repórter Ricardo Carandina: Quem pode participar, quem é que pode enviar propostas?

Assessora para grandes eventos do Ministério da Cultura - Fernanda Hummel: Todas as pessoas físicas, pessoas jurídicas, com ou sem fins lucrativos, microempreendedores individuais e coletivos culturais.

Repórter Ricardo Carandina: Quanto vai receber cada um desses projetos?

Assessora para grandes eventos do Ministério da Cultura - Fernanda Hummel: O valor do contrato varia de R$ 60 mil a R$ 250 mil, de acordo com a categoria escolhida pelo proponente.
Repórter Ricardo Carandina: Como deve ser feita a inscrição, a pessoa interessada em fazer a inscrição, como deve proceder?

Assessora para grandes eventos do Ministério da Cultura - Fernanda Hummel: No site do Ministério da Cultura, cultura.gov.br. Nós temos um banner que está escrito “Edital Cultura 2014”, onde o proponente acessa e tem todas as informações lá. Eu iria fazer uma recomendação a todos: que leiam a cartilha que nós fizemos, que lá constam todas as dúvidas que o proponente pode tirar a respeito do edital, e leia atentamente o edital também.

Repórter Ricardo Carandina: O julgamento e a escolha dessas propostas está previsto ainda para este ano?

Assessora para grandes eventos do Ministério da Cultura - Fernanda Hummel: Sim, o edital foi prorrogado. Nós temos inscrições abertas até o dia 4 de novembro e acreditamos que até o final do ano a gente tenha o resultado final.

Repórter Ricardo Carandina: E aí essas iniciativas todas devem ser realizadas no período entre a Copa do Mundo, quer dizer, naquele período entre 10 de junho e 15 de julho do ano que vem?

Assessora para grandes eventos do Ministério da Cultura - Fernanda Hummel: Exatamente, porque o foco é justamente ampliar a programação cultural da cidade-sede e, com isso, a gente ter grande festival cultural do Brasil durante a Copa do Mundo. E o mais importante também é falar que as apresentações vão acontecer nos equipamentos culturais das cidades e também nos equipamentos que o Minc selecionará durante a Copa do Mundo.

Repórter Ricardo Carandina: Então, obrigado pela entrevista, Fernanda Hummel, do Ministério da Cultura. Só relembrando: as inscrições vão ser feitas e as dúvidas podem ser esclarecidas pelo site do Ministério, www.cultura.gov.br.

Kátia: Sete e sete.

Roberto: Na última segunda-feira, noticiamos aqui na Voz do Brasil que a Advocacia-Geral da União, AGU, publicou um parecer no Diário Oficial que impede os Conselhos Regionais de Medicina de exigirem dos participantes estrangeiros do “Mais Médicos” documentos diferentes dos listados na Medida Provisória que criou as regras do programa.

Kátia: E, hoje, o Conselho Federal de Medicina orientou os Conselhos Regionais a autorizarem os registros.

Repórter Priscila Machado (Brasília-DF): O Conselho Federal de Medicina repassou aos Conselhos Regionais a orientação para que sejam emitidos os registros provisórios dos profissionais estrangeiros que vão participar do Programa Mais Médicos, desde que a documentação de cada profissional esteja completa e não tenha inconsistências. Para Paulo Kuhn, procurador-geral da União, o novo posicionamento do Conselho Federal de Medicina vai garantir maior agilidade no processo de concessão dos registros.

Procurador-Geral da União - Paulo Kuhn: Vejam que é uma recomendação. Nós temos a expectativa de que os Conselhos sigam essa recomendação, vemos aqui uma mudança de postura, porque havia, num determinado momento inicial, uma negativa total de fornecimento dos registros e vemos aqui uma mudança de postura. Acho que é muito importante a integração dos Conselhos de Medicina no Programa Mais Médicos para que eles tenham condição de exercer as suas atribuições previstas na própria Medida Provisória, que são atribuições de fiscalização.

Repórter Priscila Machado (Brasília-DF): Mas, para concluir o processo da emissão do registro, os Conselhos Regionais de Medicina pedem um prazo de 15 dias para que o Ministério da Saúde informe o endereço e os nomes dos tutores e supervisores dos médicos estrangeiros participantes do programa. O procurador Paulo Kuhn explica que essa determinação não está prevista pela Medida Provisória que criou o Programa Mais Médicos.

Procurador-Geral da União - Paulo Kuhn: Esse prazo não é um prazo estabelecido em decisão judicial para a União. Então, é um prazo que, segundo consta na própria nota do Conselho Federal de Medicina, é um prazo que foi dado pelo Conselho, prazo no qual ele solicita algumas informações. Nós entendemos, em princípio, que esse prazo não nos vincula, mas evidentemente que haverá um esforço para que eventuais informações que tenham ainda que ser fornecidas ao Conselho Federal de Medicina ou aos Conselhos Regionais de Medicina sejam atendidas.

Repórter Priscila Machado (Brasília-DF): A Advocacia-Geral da União afirma que, caso os Conselhos Regionais não significam a orientação do Conselho Federal de Medicina e se neguem a emitir os registros provisórios dos médicos estrangeiros, o governo pode ajuizar novas ações. De Brasília, Priscila Machado.

Roberto: E, durante três semanas, os profissionais com diploma do exterior que participam do Programa Mais Médicos passaram por um treinamento que contava com aulas sobre o Sistema Único de Saúde e lições de língua portuguesa.

Kátia: As aulas terminaram na semana passada e todos os profissionais foram avaliados.

Roberto: Dos 682 médicos com diploma do exterior que passaram pelo módulo de avaliação do programa, um foi reprovado e 11 ficaram de recuperação.

Kátia: De acordo com o Ministério da Saúde, antes de começar a trabalhar, os profissionais que ficaram de recuperação vão receber por duas semanas aulas de reforço.

Roberto: E foi publicada na edição de hoje do Diário Oficial da União uma portaria dos Ministérios do Planejamento, da Saúde e da Educação, que autoriza a contratação de 40 professores para o Programa Mais Médicos.

Kátia: Os contratados vão atuar como tutores dos médicos selecionados pelo programa.

Roberto: O edital de abertura do processo seletivo deve ser publicado em até quatro meses.

Kátia: Mais informações em www.in.gov.br.

Roberto: O ex-presidente da União Nacional dos Estudantes, Honestino Guimarães, foi declarado, hoje, um anistiado político.
Kátia: O líder estudantil foi perseguido pela Ditadura Militar e desapareceu no começo da década de 70. Somente em 1996 sua morte foi reconhecida.

Roberto: A anistia foi concedida numa cerimônia hoje, na Universidade de Brasília, onde Honestino estudou.

Kátia: Também, hoje, a Comissão de Anistia apresentou um pedido de desculpas públicas à família do líder estudantil.

Repórter Cleide Lopes (Brasília-DF): Honestino Monteiro Guimarães era aluno da Geologia da Universidade de Brasília. E, em 1969, foi eleito presidente da União Nacional dos Estudantes, a UNE, onde passou a militar no movimento contra o regime militar. Por isso, foi perseguido e teve que viver na clandestinidade por cinco anos. Em outubro de 73, Honestino foi sequestrado e preso no Rio de Janeiro; depois, trazido para Brasília e nunca mais foi visto. O colega de universidade e também ex-preso político, Jarbas Silva Marques, fala sobre o amigo.

Jarbas Silva Marques: Mesmo os inimigos ideológicos, pessoas que compartilhavam de uma opinião ideológica contrária a nós, tinha uma afeição muito grande. A segurança dele, quando a polícia tentava prendê-lo, era afeita até pelos inimigos ideológicos aqui dentro da universidade.

Repórter Cleide Lopes (Brasília-DF): Hoje, após 40 anos do desaparecimento de Honestino Guimarães, a Comissão de Anistia do Ministério da Justiça apresentou um pedido de desculpas públicas à família do líder estudantil, na Caravana da Anistia. Para o presidente da comissão e secretário nacional de Justiça do Ministério, Paulo Abrão, o ato marca um momento importante pela simbologia do que ele representa.

Presidente da Comissão da Anistia e Secretário Nacional de Justiça do Ministério - Paulo Abrão: É um caso simbólico, porque ele é emblemático no sentido de representar toda a aspiração de uma juventude que teve o seu projeto de vida interrompida pela Ditadura Militar.

Repórter Cleide Lopes (Brasília-DF): A filha de Honestino, Juliana Guimarães, disse que a história não termina com o pedido de desculpas.

Filha de Honestino - Juliana Guimarães: Já se passaram 40 anos, eu não sei onde está o meu pai. É maravilhoso a gente estar aqui, hoje, mas é pouco. A gente tem que descobrir o que aconteceu com essas pessoas todas que sumiram e que ninguém dá conta de dar uma resposta.

Repórter Cleide Lopes (Brasília-DF): A ideia das Caravanas da Anistia é julgar casos do Regime de 64 nos locais onde as pessoas foram perseguidas. Na Universidade de Brasília, a Caravana homenageou cerca de 200 professores demitidos pelo regime militar e estudantes que foram perseguidos pelas forças repressoras por resistir ao regime autoritário da época. De acordo com o presidente da Comissão de Anistia, Paulo Abrão, nesses dois anos de existência, a Comissão já analisou 60 mil processos de presos políticos.

Presidente da Comissão da Anistia e Secretário Nacional de Justiça do Ministério - Paulo Abrão: Ouvimos mais de 60 mil pessoas. Destas, 1/3 delas teve o seu pedido indeferido por ausência de comprovação de perseguição política e 2/3 comprovaram que foram atingidas por quaisquer atos de exceção durante a Ditadura.

Repórter Cleide Lopes (Brasília-DF): O presidente da comissão disse, ainda, que ouvir os familiares e as vítimas do regime militar é uma forma de reencontrar a história e permitir a produção de uma memória que esteja amparada na narrativa das vítimas e não exclusivamente nos documentos oficiais produzidos pela repressão, que muitas vezes continham informações inverídicas para justificar a violência do estado contra as pessoas. De Brasília, Cleide Lopes.

>> “Participe”.

Roberto: E, hoje, no “Participe”, onde a gente divulga iniciativas que abrem espaço para a contribuição cidadã, vamos falar sobre uma pesquisa da Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

Kátia: A Anvisa quer saber se os 50 compromissos assumidos na Carta de Serviços ao Cidadão satisfazem a necessidade da sociedade e também de representantes de instituições públicas ou privadas.

Roberto: O documento, que foi revisado no ano passado, traz informações sobre os serviços prestados pela agência e também os compromissos e padrões de qualidade para melhorar o atendimento ao público.

Kátia: E a pesquisa de satisfação foi tema da entrevista que a jornalista Patrícia Scarpin fez hoje com Fabiano Araújo, que é coordenador de Qualidade em Processos da Anvisa.

Repórter Patrícia Scarpin: O que a agência quer saber da população por meio dessa pesquisa?

Coordenador de Qualidades em Processos da Anvisa - Fabiano Araújo: Primeiro, a gente quer saber assim o que a população acha que pode melhorar em relação à carta, se ela entende os compromissos que estão firmados na carta de serviços, se ela está satisfeita com esses compromissos e o que ela acha que pode melhorar em relação a cada um desses compromissos ou se é necessário que a Anvisa assuma outros compromissos. De que serviços a gente está falando? Da parte de registro de produtos, da parte de prestação de informações pela Ouvidoria, atendimento ao público, informações sobre a realização de inspeções ou autorização de funcionamento de empresas, registro de alimentos, cosméticos, sobre a atuação da Anvisa em portos, aeroportos e fronteiras. Todo o escopo de atuação da Anvisa está representado nesses 50 compromissos.

Repórter Patrícia Scarpin: Que questões, por exemplo, a pessoa pode encontrar nessa pesquisa?

Coordenador de Qualidades em Processos da Anvisa - Fabiano Araújo: Por exemplo, a gente tem compromissos ligados à atualização de informações no site da Anvisa em relação a alimentos, que é um compromisso da Anvisa manter essas informações atualizadas. Será que a sociedade enxerga isso como um compromisso? A Anvisa tem cumprido isso? As informações estão lá atualizadas? É esse tipo de questão.

Repórter Patrícia Scarpin: E quem pode participar da pesquisa e até quando ela fica disponível?
Coordenador de Qualidades em Processos da Anvisa - Fabiano Araújo: A pesquisa, ela fica disponível, a priori, até o final do ano, até dezembro, e está aberta à participação de qualquer pessoa. Então a gente tem o setor regulado participando de forma muito forte e o cidadão, a sociedade civil organizada, a gente percebe, pelas manifestações, um público bem diverso participando da pesquisa.

Repórter Patrícia Scarpin: E, Fabiano, o que será feito a partir dessas opinião coletadas?

Coordenador de Qualidades em Processos da Anvisa - Fabiano Araújo: A gente vai fazer uma avaliação de cada um dos compromissos, já preparando a revisão da carta de serviços para o próximo ano. Então, a possibilidade, por exemplo, de inserção de novos compromissos, de alteração dos existentes ou até de suprimir algum compromisso que não esteja claro para a sociedade.

Repórter Patrícia Scarpin: Fabiano Araújo, coordenador de Qualidade em Processos da Anvisa, obrigada por sua entrevista à Voz do Brasil.

Coordenador de Qualidades em Processos da Anvisa - Fabiano Araújo: Obrigado.

Roberto: Para participar da pesquisa, acesse www.anvisa.gov.br. No lado direito da tela, clique em “Carta de Serviços”.

Kátia: O estado de Pernambuco recebeu, hoje, três bases móveis de videomonitoramento.

Roberto: A doação dos equipamentos faz parte das ações do “Programa Crack, é possível vencer” e vai ajudar a reforçar o policiamento ostensivo e inibir o tráfico de drogas nas áreas de maior vulnerabilidade de Recife.

Kátia: O investimento é de R$ 5,4 milhões. Junto a cada base móvel, vão ser instaladas 20 câmeras de videomonitoramento fixo, disponibilizadas duas viaturas e duas motocicletas para ajudar na mobilidade dos policiais.

Roberto: Além de receber os equipamentos, os profissionais de segurança pública passam por cursos de capacitação e aprendem a lidar com os novos sistemas tecnológicos da base móvel.

Kátia: Sete e dezessete.

Roberto: Para incentivar o consumo de peixe e a pesca no país, o Ministério da Pesca e Aquicultura elaborou o primeiro Censo Aquícola do Brasil.

Kátia: O levantamento vai servir para definir ações públicas com o objetivo de estimular o setor pesqueiro.

Repórter Mara Kenupp (Brasília-DF): Moisés Guimarães, do núcleo rural Córrego da Onça, no Distrito Federal, começou a investir em piscicultura há seis meses. Até agora, já gastou 40 mil reais para construir quatro criatórios e dois tanques para filtrar a água. Nos reservatórios, que são feitos à base de ferro e concreto, a meta do produtor é criar pintado, robalo e tilápia.
Piscicultor - Moisés Guimarães: Aqui é uma estocagem de mais ou menos 77 quilos por metro cúbico. Eu vou começar com 70 quilos por metro cúbico, e, assim, a previsão de 160 dias, a gente ter em torno de aproximadamente oito toneladas.

Repórter Mara Kenupp (Brasília-DF): Em cinco meses, o piscicultor já poderá vender as primeiras produções. Sr. Moisés Guimarães já fez as contas de quanto será o lucro.

Piscicultor - Moisés Guimarães: Setenta por cento de retorno, né? Isso com a criação da tilápia. Agora, se eu colocar, por exemplo, como eu pretendo, o pintado real, né, que já é um peixe que tem um valor maior no mercado – hoje, o quilo já é vendido, o produtor revende de R$ 12,00 a R$15,00 o quilo dele -, então, quer dizer, eu já tenho um retorno maior.

Repórter Mara Kenupp (Brasília-DF): No Censo Aquícola do Ministério da Pesca e Aquicultura, feito entre 2009 e 2011, foram identificados no Brasil cerca de 18 mil produtores de pescado em água doce. Desses, 15 mil são de pequeno porte, mais de 900 produtores são de médio porte e quase uma centena são de grande porte. Incentivar o consumo de peixe e a produção de pescado no país é uma das metas do Ministério da Pesca e Aquicultura. Por isso, de acordo com o coordenador-geral de Monitoramento e Informações Pesqueiras, Humberto Hazin, o levantamento vai permitir a implementação de políticas públicas para o setor.

Coordenador-Geral de Monitoramento e Informações Pesqueiras - Humberto Hazin: A partir do censo, isso se resolve, porque a gente já teria uma radiografia, um georreferenciamento dos dados, no qual permite a gente localizar, hoje, esses produtores e serve como base para outros planejamentos, outros planos de amostragem que virão a ser feito ao longo desses anos.

Repórter Mara Kenupp (Brasília-DF): O Censo Aquícola foi realizado em todo o país no período entre 2009 e 2011. Outras informações em www.mpa.gov.br. De Brasília, Mara Kenupp.

Roberto: E os governos da Bahia e de Sergipe receberam, hoje, da ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menicucci, quatro unidades móveis para circularem em áreas rurais.

Kátia: São dois ônibus adaptados para cada estado, que devem levar serviços de segurança e Justiça às mulheres do Nordeste.

Roberto: Além das unidades móveis, Sergipe formalizou a adesão ao Programa Mulher Viver sem Violência.

Kátia: E ainda nesse assunto, Roberto, jovens e mulheres que vivem em áreas com alto índice de violência vão ter cursos de capacitação. Serão investidos no projeto R$ 12 milhões.

Roberto: Vamos saber mais na entrevista que Ricardo Carandina fez com a secretária nacional de Segurança Pública, Regina Miki.

Repórter Ricardo Carandina: Esses recursos, eles vão para projetos Mulheres da Paz e Proteção de Jovens em Território Vulnerável. Que tipo de ação esses projetos preveem?

Secretária Nacional de Segurança Pública - Regina Miki: Nós queremos transformar tanto essas mulheres quanto esses jovens em indutores de uma política diferente, de uma política de paz dentro dessas áreas de vulnerabilidade. Mostrar a esse jovem e a esta mulher que existem políticas sociais que eles podem também estar implementando dentro da sua localidade, trazendo um benefício maior, tornando esses locais menos vulnerável à criminalidade.

Repórter Ricardo Carandina: E quais são os estados e municípios que podem participar?

Secretária Nacional de Segurança Pública - Regina Miki: Todos os estados, inclusive o Distrito Federal, e os municípios, não interessando o seu tamanho. O que nós pedimos é que os convênios tenham no mínimo atenção a 50 mulheres e 75 jovens. No mínimo, pode ter mais. Então, nós calculamos mais ou menos cada convênio firmado em torno de R$ 100 mil.

Repórter Ricardo Carandina: Ok, está bem. Então, agradeço aqui à Regina Miki, do Ministério da Justiça. E as propostas devem ser enviadas até o dia 12 de setembro, por meio do Sistema de Convênios e Contratos de Repasses, na página www.convenios.gov.br.

Kátia: Onze empresas, entre elas a Petrobras, já pagaram a taxa de participação da primeira rodada do leilão do pré-sal, que será feita no dia 21 de outubro, com oferta da área de libra, que fica na Bacia de Santos, em São Paulo.

Roberto: O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, disse hoje que o governo brasileiro está convencido do sucesso do leilão com a presença de grandes empresas.

Ministro de Minas e Energia - Edison Lobão: O governo está plenamente convencido do sucesso que ocorrerá no leilão, assegurado pelo interesse demonstrado pelas empresas inscritas, entre as quais algumas das maiores petroleiras do mundo. O Campo de Libra é generoso e vai demonstrar que ele representa um grande marco na exploração de petróleo no Brasil e uma grande oportunidade para as petroleiras que venham trabalhar conosco aqui na exploração do nosso petróleo. Nós estamos vendo um certo pessimismo, demonstrado por algumas pessoas, alguns analistas, no sentido de que duas ou quatro grandes empresas deixaram de participar da inscrição do leilão. Das 11 maiores empresas ou 12 maiores empresas, sete estão participando. Portanto, não se poderia imaginar um sucesso maior do que esse, em matéria de presença de grandes empresas.

Kátia: Noventa e um municípios do estado de Goiás, que tem menos de 50 mil habitantes, receberam hoje máquinas retroescavadeiras.

Roberto: Os equipamentos vão ser usados na abertura e recuperação de estradas rurais para ajudar no escoamento da produção agrícola desses municípios.

Kátia: Cerca de 200 mil pessoas que vivem na área rural do estado devem ser beneficiadas.

Roberto: As máquinas foram doadas pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário, através do Programa de Aceleração do Crescimento, o PAC 2.

Kátia: O investimento foi de R$ 13 milhões.
Roberto: Mais de 157 mil pessoas, que moram em 13 municípios do semiárido do estado de Alagoas, vão ter um reforço para enfrentar os efeitos da seca.

Roberto: Treze caminhões-pipa foram doados às prefeituras hoje, pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário, por meio do Programa de Aceleração do Crescimento, o PAC 2.

Kátia: O investimento foi de R$ 3,5 milhões.

Roberto: Outros sete municípios de Alagoas já tinham recebido caminhões-pipa.

Kátia: Você ouviu hoje, na Voz do Brasil.

Roberto: Criação de empregos no país aumenta quase 27% em agosto.

Kátia: Quinta penitenciária federal vai ser construída no Distrito Federal.

Roberto: Longa-metragem brasileiro “Som ao Redor” concorre a uma indicação ao Oscar 2014 de melhor filme estrangeiro.

Kátia: Esse foi o noticiário do Poder Executivo, uma produção da equipe de Jornalismo da EBC Serviços.

Roberto: Siga a Voz do Brasil no Twitter: twitter.com/avozdobrasil. Voltamos na segunda-feira. Boa noite.

Kátia: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite, bom fim de semana e até segunda.