PF abre inquérito para apurar causas do apagão de 15 de agosto

A investigação corre em sigilo e apura os crimes de sabotagem e atentado contra a segurança de serviço de utilidade pública. Segundo o Operador Nacional do sistema, o distúrbio detectado não seria suficiente para ocasionar interrupção generalidade de energia.

PF abre inquérito para apurar causas do apagão de 15 de agosto

A investigação corre em sigilo e apura os crimes de sabotagem e atentado contra a segurança de serviço de utilidade pública. Segundo o Operador Nacional do sistema, o distúrbio detectado não seria suficiente para ocasionar interrupção generalidade de energia.

22-08-23 - E NOTICIA - LANA CRISTINA - INQUERITO APAGAO - JF.mp3

Duração: 1'52"

Publicado em 22/08/2023 21:55

A Polícia Federal instaurou nesta terça-feira (22) inquérito policial para apurar as causas do apagão que deixou parte do país sem energia elétrica no último dia 15 de agosto.

A investigação corre em sigilo e apura os crimes de sabotagem e atentado contra a segurança de serviço de utilidade pública.

Após a queda de energia, que atingiu todas as regiões do país, o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira convocou reunião do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico para levantar as informações sobre os eventos ocorridos no Sistema Interligado Nacional, o SIN.

Estiveram na reunião representantes do Operador Nacional do Sistema, ONS, e também da Aneel, Agência Nacional de Energia Elétrica.

O diagnóstico inicial do ONS mostra que a queda de energia teve origem na região Nordeste e envolveu todos os estados atendidos pelo Sistema Interligado Nacional, ou seja, menos Roraima.

Foram acionados esquemas regionais e proteções do sistema elétrico para conter o problema e a energia foi retomada ainda pela manhã nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste e, no início da tarde, nas regiões Norte e Nordeste.

Foi identificado no relatório preliminar do ONS que o problema começou em uma linha de transmissão de Quixadá, em Fortaleza, da Eletrobras CHESF, e o incidente desencadeou uma série de ações que amplificaram os impactos a toda o país.

Segundo o ONS, o distúrbio nessa linha de transmissão, por sua natureza e por ter ocorrido de forma isolada, não seria suficiente para ocasionar a interrupção generalizada de energia elétrica.

O relatório não descarta a hipótese de uma atuação incorreta no sistema de proteção da linha, que operava dentro dos limites. Em 45 dias, o Operador Nacional do Sistema deve divulgar o diagnóstico final sobre o apagão.

Da Rede Nacional de Rádio, em Brasília